terça-feira, 22 de setembro de 2009

Vídeo: Valor Superação

Recebi este vídeo de uma amiga da escola. Como estamos trabalhando com o tema: Diferentes sim, por que não? coordenado pelas professoras da sala de recursos, pensei que ele vem complementar nosso trabalho.

É importante lembrar que a Tailândia é referência no Programa Sathya Sai de Educação em Valores Humanos. Vejam, a sementinha já está germinando nos meios de comunicação e publicidade.

O texto abaixo acompanhou o email que recebi.


Um comercial produzido na Tailândia:
É a história de uma menina surda-muda que aprende a tocar violino contra todos os reveses, principalmente de uma colega pianista maldosa.É um comercial de shampoo, da Pantene com a temática "lição de vida", mostrando o que se pode fazer com o coração.Nenhuma referência é feita ao produto (shampoo) até o fim do comercial:"Você pode brilhar".
A música tema é o Canon in D, de Johann Pachelbel

video

sábado, 19 de setembro de 2009

História da semana

Esta semana estarei contando a história "Uma Joaninha diferente" de Regina Célia Melo. Quem tiver sugestões por favor enviem para nós.
Logo mais enviarei o planejamento
Eunice

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Informações sobre o blog para os pais ou responsáveis

Este blog destina-se à publicação e divulgação de material referente ao Projeto de Educação em Valores Humanos e tem como objetivo incentivar a prática dos valores humanos na escola, na família e comunidade.
As fotos dos estudantes a serem publicadas tem o caráter de valorizar e incentivar a participação amorosa nos trabalhos propostos e motivar outros projetos, não tendo nenhum outro interesse.
Só serão postadas fotos de estudantes cujo responsáveis autorizarem por escrito.
Comentários e sugestões podem ser feitas abaixo de cada publicação.
Atenciosamente
Professora Eunice

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Diário Coletivo das Atitudes de Valor

O professor propõe para a turma a produção de um diário coletivo.
A cada dia um estudante é escolhido ou sorteado para levar o diário (caderno) para casa e relatar tudo que conseguir lembrar de bom que aconteceu na escola.
No dia seguinte ele fará a leitura para a turma e outro estudante assume a tarefa para o outro dia.
O objetivo é enfatizar a prática dos valores e seus efeitos positivos e transformadores na vida de cada um.
Conversar com os estudantes sobre os sentimentos observados durante a produção do texto, enquanto houve os relatos e o que essa atividade tem proporcionado para o grupo.

Ditado de Valores

  • Cada estudante é orientado a pensar em alguns valores que usarão no ditado;
  • A critério do professor, cada estudante fala um valor e todos escrevem;
  • Em seguida formam grupos para correção, deixando claro que o importante é ajuda mútua e aprendizagem coletiva. Todos devem colaborar para o sucesso do grupo.
  • No final, o professor escreve todos os valores no quadro para os estudantes conferirem e conversam sobre as atitudes positivas e os valores colocados em prática durante a atividade.

Bingo de Valores

Objetivo: Familiarizar o grupo com o nome dos valores. Refletir sobre seu significado.

  • Cada aluno escolhe um valor (o valor não deve se repetir). Podem utilizar crachás de valores confecionados anteriormente;
  • Em um papel, escrever o valor escolhido e depositar num saco ou caixa;
  • Cada estudante recebe outro pedaço de papel que deverá dividir (riscando) em quatro partes;
  • Caminhar pela sala observando os valores dos demais e escolher 4 valores para escrever no papel (pode usar seu próprio valor);
  • Em seguida o professor faz o sorteio utilizando os valores depositados no saco;
  • Os estudantes "bingados" falam sobre a relação entre os valores que escolheram e seu significado.

Dicionário de Atitudes de Valores

Em um caderno brochura, dividir as folhas como em um dicionário e ir acrescentando os valores a medida que forem sendo lembrados (vivenciados).
Podem ser usados conceitos simples ou relacionar exemplos de atitudes e práticas pessoais desses valores.
O dicionário também pode ser coletivo.

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

A vocação de Brigite Braga Valor: Não-Violência/Incapacidade de causar dano

Esta aula foi aplicada em todas as turmas de 1a. a 4a. série, nas salas de aulas, com auxílio das professoras e da orientadora educacional. O projeto teve a duração de uma semana e resultou no mural abaixo:








Valor Absoluto: Não Violência
Valor Relativo: Incapacidade de causar dano
Objetivos: O estudante deve perceber que em qualquer ambiente e em qualquer situação da vida pode escolher praticar o bem, fazer o que é certo e que é essa a verdadeira essência do ser humano.
1. Harmonização: Meditação da Luz
1.1 Música suave (quando estiver todos em silêncio iniciar a meditação)Sente-se ereto e respire fundo. Inspire e expire suavemente.Imagine uma luz dourada bem no centro de sua testa. Sua cabeça está cheia dessa luz dourada, linda. Todos os seus pensamentos estão cheios de luz, de bons pensamentos.Agora traga a luz para o seu coração. Sinta o seu coração se enchendo de amor e paz. Imagine que o centro do seu coração é uma flor bonita. Esta que as pétalas se abrem, na medida em que é tocada pela luz dourada.Agora traga a luz para os seus olhos de modo que os seus olhos fiquem cheios de luz. Veja o bem ao seu redor, veja a beleza em tudo. Veja o bem nas outras pessoas.Traga a luz para os seus ouvidos, os seus ouvidos estão cheios de luz. Deixe que os seus ouvidos encontrem os sons mais belos. Ouçam o que é bom e útil.Traga a luz para a sua língua e boca. Agora elas estão cheias de luz. Que a sua língua fale palavras de bondade, de amor e doçura.Traga a luz para o seu pescoço e ombro, para os seus braços e mãos. Deixe que as suas mãos se encham de luz. Deixe que as suas mãos sirvam às outras pessoas e ajudem você a cumprir o seu dever.Traga a luz mais para baixo, através do seu corpo, até as suas pernas e pés. Os seus pés estão cheios de luz. Deixe que estes pés conduzam você por um bom caminho, para encontrar bons amigos e para ir a bons lugares. Que eles possam levar você pelo caminho da vida até alcançar os seus objetivos.Agora o seu corpo inteiro está cheio de luz. Sinta a luz e o amor dentro de você. Traga a luz novamente para a sua cabeça, para o centro da sua testa. Imagine que a luz que está dentro de você é a mesma luz que está dentro de cada um nesta sala, de cada ser vivente. Todos estão cheios dessa luz.Agora você pode compartilhar essa luz com os outros. Imagine que essa luz está saindo de dentro de você para tocar todos que estão perto de você. Veja a sua luz tocando os seus colegas, a sua professora, os colegas das outras turmas, as outras professoras, os funcionários da escola, das casas aqui perto.Agora leve esta luz para sua casa e toque todas as pessoas que vivem lá. Mande essa luz para todos da sua família, da sua rua, da sua cidade.Agora imagine essa luz envolvendo, abraçando o mundo inteiro, todas as criaturas. Que todos os seres da terra se encham de amor, paz e alegria.Palestra: Conversar sobre como estão se sentindo. Quais as sensações que tiveram. A importância de se buscar a paz e sentir o amor a cada instante e compartilhar esse amor com todos.
2.Citações: “Quem trabalha pelo bem da humanidade colabora com Deus.”
Perguntas:
1. O que é a humanidade?
2. Qual o significado do verbo “colaborar”?
3. O que é bom para a humanidade?
4. O que você entende por “trabalhar para a humanidade é colaborar com Deus”?
5. Como você se sente quando faz algo bom para outra pessoa?
3.História:
A vocação de Brigite Braga
Era uma vez uma família de ratos: a família Braga. Brigite, uma das ratinhas, era diferente. Enquanto suas irmãs e primos só pensavam em aprontar: roubar queijo, desarmar ratoeiras, roer as cortinas, assustar as pessoas, Brigite queria ajudar a todos e não gostava de estragar as coisas, só pelo prazer de roer.A mãe de Brigite, dona Breda Braga, sempre dizia: “Brigite Braga, você tem que aprender a roer, todos os ratos roem, é a nossa função”!O Sr. Brito Braga, pai de Brigite, resmungava: “Quando será que essa ratinha irá encontrar um rumo para sua vida”?Brigite ficava triste e chorava lágrimas de ratinha.Um dia a ratinha acordou cedo e foi dar um passeio pleos cômodos da casa. Qual não foi sua surpresa quando viu uma menina costurando um lindo tapete de retalhos! Brigite ficou encantada ao ver cada pedacinho de tecido se unir a outros e dar aquele colorido maravilhoso ao trabalho. À noite, na hora em que todos os ratos partiram para roer, nossa amiguinha foi até a caixa de costura e retirou linha e agulha.Na manhã seguinte Brigite Braga estava toda sorridente e feliz, costurando tudo que encontrava rasgado ou roído. Os ratos todos comentavam: “Onde já se viu, uma ratinha costurar! Isso é um absurdo! Brigite deve estar louca!”.Mas Brigite não desistiu, e a cada alinhavo, aumentava ainda mais o seu desejo de costurar e consertar as coisas estragadas pelos dentes afiados dos ratinhos.E trabalho é que não faltava, tudo que seus amigos roíam, ela costurava e transformava em lindas colchas, cortinas, tapetes e roupinhas, que dava de presente a eles mesmos. Todos, aos poucos, foram gostando a até traziam retalhos para ela costurar. E foi assim que a ratinha Brigite Braga descobriu e cultivou sua vocação de costureira: de unir retalhos para tornar a vida de sua família ainda mais colorida e feliz!
Do livro: Dinâmicas para contar histórias, de Rogério Bellini, Ed. Paulinas.
Perguntas:
1. Quem era Brigite Braga?
2. Por que Brigite era diferente dos seus irmãos e primos?
3. O que Brigite viu que a deixou encantada?
4. O que fez a ratinha depois disso?
5. O que os outros ratinhos pensaram dela?
6. Na sua opinião o que fazia a ratinha ser diferente dos demais, quais os sentimentos e valores 7. ela trazia dentro de si para querer fazer diferente?
7. Você já sentiu vontade de fazer algo de diferente dos demais, algo de bom, que não faz parte da sua rotina? O que?
8. Como Brigite ficou depois que descobriu sua vocação?
9. Brigite queria fazer o bem para todos, consertar as coisas, agir corretamente, sem ferir as pessoas ou causar danos. E você, o que quer fazer, como quer ser e como tem agido?

4.Canto Grupal:
Cores do Bem
O amor precisa viver dentro de mim,
dentro em você.
Tomando conta de nós,
lindo de ser, lindo de ver
Vestindo cores do bem,
cheio de luz e alegria
Fazendo a gente cantar de coração
A paz em cada canção
Que todos os seres em todos os mundos sejam felizes
5.Atividade Grupal:
Colcha de Retalhos:
Entregar para cada criança um quadrado (10x10cm) de cartolina colorida e perfurada nos cantos;·
Pedir para desenhar e escrever frases que falem dos temas abordados na aula, sugerindo ações corretas relativas aos valores de aceitação, amor, bons modos, compaixão, cortesia, justiça, perdão, etc.·
Juntar os quadrados com linha de bordado ou lã, dando pequenos nós e formar uma colcha de retalhos;·
Expor a colcha em local apropriado.
Sugestão: pode-se juntar as colchas de todas as turmas e formar uma só colcha e expor na biblioteca ou no mural da escola.
Encerramento:Avaliação da aula Oração conduzida (agradecimento)

terça-feira, 8 de setembro de 2009

A Margarida Friorenta Valor Amor/Afeto/Carinho

Objetivos: Perceber através das atividades vivenciadas a importância da afetividade sincera na vida de cada ser humano.


Obs: Esta aula pode ser desenvolvida ao longo da semana, caso não seja possivel realiza-la no mesmo dia.
Nesta aula apresentada, a atividade grupal foi feita pela professora responsável pela turma em sala de aula.



Planejamento feito tendo como inspiração o Livro abaixo:

Os alunos da escola são atendidos semanalmente na biblioteca para uma aula de contação de histórias, com foco nos valores humanos. Esta aulinha especial foi aplicada em setembro de 2008.


A propaganda da história da semana foi fixada uma semana antes no mural de entrada na escola.

Clique na imagem para ver ampliada.


Desenvolvimento da aula:

Método Direto:
1) Harmonização: música (sons da natureza)
Conversar sobre as percepções durante a harmonização.

2) Citação: “As dádivas feitas com carinho dobram de valor” Texto Hindu
Obs: Elaborar perguntas de acordo com o nível de entendimento da turma, para explorar ao máximo a compreensão e os sentimentos das crianças.


A história foi contada utilizando recursos adaptados (ampliação de uma borboleta que já tinha sido usada em outra história, uma boneca, cachorro de pelúcia, caixa de sapato). Interessante que as crianças lembraram e falei que era a mesma borboleta, vivendo novas aventuras e sempre colocando os valores em prática.



A MARGARIDA FRIORENTA
(Fernanda Lopes de Almeida)
Era uma vez uma margarida em um jardim.
Quando ficou de noite a margarida começou a tremer.
Ai passou a Borboleta Azul. A borboleta parou de voar.
- Por que você esta tremendo?
- Frio!
- Oh! E horrível ficar com frio! E logo em uma noite tão escura!
A Margarida deu uma espiada na noite.E se encolheu nas suas folhas.A Borboleta teve uma idéia:
- Espere um pouco! E voou para o quarto de Ana Maria.
-Psiu, acorde!
- Ah? E você, Borboleta? Como vai?
- Eu vou bem. Mas a Margarida vai mal.
- O que e que ela tem?
- Frio coitada!- Então já sei o remédio. É trazer a Margarida para o meu quarto.
- Vou trazer já.
A Borboleta pediu ao cachorro Moleque:- Você leva esse vaso para o quarto da Ana Maria?Moleque era muito inteligente e levou o vaso muito bem.
Ana Maria abriu a porta para eles. E deu um biscoito para Moleque.A Margarida ficou na mesa de cabeceira.
Ana Maria se deitou.Mas ouviu um barulhinho. Era o vaso balançando. A Margarida estava tremendo!
- Que e isso?
- Frio!- Ainda? Então já sei! Vou arranjar um casaquinho para você.
Ana Maria tirou o casaquinho da boneca. Porque a boneca não estava com frio nenhum.E vestiu o casaquinho na Margarida.
- Agora, você esta bem. Durma e sonhe com os anjos.Mas quem sonhou com os anjos foi Ana Maria. A Margarida continuou a tremer.Ana Maria acordou com o barulhinho.
- Outra vez? Então já sei. Vou arranjar uma casa para você!E Ana Maria arranjou uma casa para Margarida.Mas quando ia adormecendo ouviu outro barulhinho.Era a Margarida tremendo.Então Ana Maria descobriu tudo.Foi lá e deu um beijo na MargaridaA Margarida parou de tremer.E dormiram muito bem a noite toda.No dia seguinte Ana Maria disse para a Borboleta Azul:
-Sabe Borboleta? O frio da Margarida não era frio de casaco não!E a Borboleta respondeu:
- Ah! Entendi!

Reflexões:
A margarida está morrendo de frio no jardim. Mas não é falta de casaco. É um frio no coração...
Existem muitos tipos de frio, e o pior talvez seja aquele que nasce da falta de carinho. Seria esse o que a pequena margarida sentia?
4.Canto Grupal: Músicas que falem de amor, amizade. Você pode baixa músicas no site http://www.valoreshumanos.org/.
5. Atividade Grupal:
1. Em sala, os alunos recebem uma flor (recortar antes se as crianças forem muito pequenas).
2. Realiza-se um sorteio (tipo amigo oculto).
3.Eles deverão escrever uma mensagem de afeto, elogio, carinho, mensagem de apoio...
4. Dobra as pétadas da flor sobrepondo uma sobre a outra até fechar toda a flor.
5. Revela-se o amigo oculto, num clima de amizade e descontração.
6. Em seguida os alunos colocam a flor na água, suavemente, sem mergulhar e a flor se abre revelando a mensagem.
7. Os alunos podem pregar a flor numa folha e fazer desenhos, colar no mural, etc.
Atenção: É importante fazer a avaliação da atividade, comentando os valores envolvidos, os sentimentos e percepções dos alunos com vistas a mudanças de atitudes.






















Modelo da flor (Faça o teste antes de fazer com os alunos)





terça-feira, 1 de setembro de 2009

Crachás - Valor autoconhecimento/respeito

Pedir aos estudantes para confeccionar crachás em pedaços de cartolina onde,
além do nome e da maneira como gostariam de ser chamados, escrevam
algumas sentenças que expressem seus gostos e seus sentimentos. Exemplo:
a. Nome..
b. Gosto de ser chamado de:
c. Fico contente sempre que:
d. Meu maior sonho na vida é:
Os estudantes circulam pela sala, observando os demais crachás.
Ao final é indispensável um círculo de debates, onde cada educando expresse
sua impressão sobre a atividade e, principalmente, revele suas descobertas

Caixa de Correspondência - Valor Retidão

Uma caixa de papelão especialmente pintada serve de caixa de coleta do correio,
para a qual os educandos são incentivados a depositar por escrito, questões que necessitam ser pensadas para que toda a classe os discuta e reflita sobre as diversas formas corretas de
lidar com eles, colocando em prática os valores humanos resgatados nas aulas.

Valores a desenvolver- Valor autotransformação

Espalhar fichas com diversos valores pelo chão ou sobre uma mesa.
Colocar os educandos em circulo e solicitar que, um a um, escolham para si mesmos
um valor que desejam alcançar ou aprimorar em si mesmos.
Debater com eles os melhores caminhos para alcançar o proposto e, semanalmente,
fazer uma avaliação dos esforços empreendidos, das conquistas realizadas e das
dificuldades a superar.
A avaliação conjunta reforça no estudante o respeito pelo outro e a
descoberta de poder auxiliar na tarefa individual do amigo.