sábado, 20 de março de 2010

Valores Humanos para Formação da Cidadania - Introdução

APRESENTAÇÃO

O presente manual foi preparado com o único propósito de apoiar o professor na preparação das aulas como parte do Programa "Valores Humanos para Formação da Cidadania”. Abrangendo da 1ª à 9ª série do Ensino Fundamental.

Atendendo aos dispositivos e recomendações da seguinte legislação brasileira.

Constituição Federal do Brasil - Seção I – Da Educação
Art.205. A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho.

Valores Humanos na LDB - Art.29. A educação infantil, primeira etapa da educação Seção II – Da Educação Infantil básica, tem como finalidade o desenvolvimento integral da criança até seis anos de idade, em seus aspectos físico, psicológico, intelectual e social, complementando a ação da família e da comunidade.

Art.22. A educação básica tem por finalidade desenvolver o educando, assegurando-lhe a formação comum indispensável para o exercício da cidadania e fornecer-lhe meios para progredir no trabalho e em estudos posteriores.

Art.27. Os conteúdos curriculares da educação básica observarão, ainda, as seguintes diretrizes:
I – a difusão de valores fundamentais ao interesse social, aos direitos e deveres dos cidadãos, de respeito ao bem comum e à ordem democrática;

Valores Humanos nos PCNs - Vol.08 – Temas transversais e ética:
“Uma pergunta a ser respondida: as áreas convencionais classicamente ministradas pela escola, como Língua Portuguesa, Matemática, Ciências, História e Geografia, são suficientes para alcançar a vivência da cidadania e dos valores?”

“Não há dúvida de que as atitudes respeitosas devem partir do professor, pois serão vistas como modelos, sobretudo pelas crianças menores. A virtude dos modelos não está na possibilidade de cópia por parte dos alunos, mas sim na concretização dos discursos que ouvem em condutas adultas. Porém, é erro acreditar que apenas bons modelos são suficientes para educar moralmente. Outro fator importante é o próprio relacionamento entre os alunos.” pág. 123, Vol.8. Orientações Didáticas

Valores Humanos no ECA - Convenção sobre os Direitos da Criança
Art.29 - 1- Os Estados Partes reconhecem que a educação da criança deverá estar orientada no sentido de:

c) Imbuir na criança o respeito aos seus pais, à sua própria identidade cultural, ao seu idioma e seus valores, aos valores nacionais do país que reside, aos do eventual país de origem, e aos das civilizações diferentes da sua;

d) Preparar a criança para assumir uma vida responsável numa sociedade livre, com espírito de compreensão, paz, tolerância, igualdade de sexos e amizade entre todos os povos, grupos étnicos, nacionais e religiosos, e pessoas de origem indígena; [...]

O “Programa de Valores Humanos para a Formação da Cidadania” está constituído em três Unidades distintas, com um módulo para cada nível de escolaridade, assim distribuídos para o Ensino Fundamental:

§ Unidade I – para 1º ao 5º ano;

§ Unidade II – para 6º e 7 º ano;

§ Unidade III – 8º e 9º ano .

Cada Unidade contempla três dimensões do conhecimento:
§ Aprender a conhecer o mundo em que vive e a si mesmo;
§ Aprender a conviver, cooperar e compartilhar;
§ Aprender a ser um cidadão consciente dos seus direitos e deveres.

O conteúdo deste Manual somente se refere à I Unidade para o 5º ano do Programa do Ensino Fundamental, devendo seu conteúdo ser adaptado para os níveis de escolaridade do 1º ao 4º ano.

Objetivando facilitar o professor será elaborado o Caderno do Aluno com as lições do 5.ª ano, devendo as demais lições do 1º ao 4º serem adaptadas, tomando por base as lições do 5º ano,

Observa-se no quadro resumo “OBJETIVO DAS UNIDADES” a orientação para:

1- Potenciar a auto-estima através da afirmação positiva de qualidades e habilidades, e de uma interação dentro do contexto do Lar Escola e Comunidade .
2- Propiciar o raciocínio que permita ao estudante, conviver, cooperar, compartilhar e tomar decisões selecionadas baseadas em Valores.
3- Exercer seus Direitos e Deveres com a consciência da Cidadania a luz dos Valores Humanos

Os propósitos são essenciais para o desenvolvimento integrado e balanceado da personalidade e do caráter do educando.

Sendo a auto-estima e o raciocínio, dois valores relativos dos valores absolutos VERDADE E RETIDÃO e estes por sua vez, resultantes de um conhecimento mais profundo, consistente e integral do SER humano.

Razão por que se ensina a criança a que amem a si mesmos, sem antes ensiná-los a que se autodescubram, e se conheçam, que eles sejam investigadores de tudo o que lhes rodeia e de si mesmos, que saibam utilizar seu intelecto, que saibam discernir entre o bem e o mal.

Que saibam controlar sua mente para que seu raciocínio seja claro, os conduzindo a fomentar em sua personalidade as qualidades e valores que verdadeiramente irão fazer com que se apreciem e respeitem a si mesmos.

Assim sendo, se deduz que os objetivos esperados serão resultantes da aprendizagem dos valores que deverão praticar primeiro em si, para exercitar a cooperação e o compartilhamento indispensabeis a conviver em comunidade, e finalmente assumir concretamente o esercicio de um Cidadão consciente de seus direitos e deveres, com um falar verdadeiro, uma boa conduta e Amor em todas as ações para que se obtenham os objetivos esperados da Unidade.

A filosofia com a qual se elaborou o presente Manual é a mesma filosofia do Programa de Educação em Valores Humanos Sri Sathya Sai, a qual considera:
1. Que o ser humano é um ente integral constituído de cinco níveis de consciências: O Intelectual, o Físico, o Psíquico, o Emocional e o Espiritual;
2. Que cada um destes níveis corresponde a um Valor Absoluto e a um Poder de Ação e,
3. Que a prática de cada valor absoluto fortalece um nível dos cinco que compõem a personalidade e caráter do homem, orientando-lhe fazer à busca de sua excelência, fortalecimento que se concretiza por meio da prática dos respectivos valores relativos.

VALOR: PAZ INTERIOR, TÉCNICA: HARMONIZAÇÃO, NÍVEL: MENTAL/EMOCIONAL, ATUA NOS PENSAMENTOS E SENTIMENTOS.

VALOR:VERDADE, TÉCNICA: CITAÇÃO, NÍVEL: INTELECTUAL, ATUA NO DISCERNIMENTO E INTUIÇÃO.

VALOR: RETIDÃO, TÉCNICA: HISTÓRIA, NÍVEL: FÍSICO, ATUA NA PALAVRA E NA AÇÃO.

VALOR: AMOR, TÉCNICA: CANTO GRUPAL, NÍVEL PSIQUICO, FLUIR DA ENERGIA DO AMOR.

VALOR: NÃO VIOLÊNCIA, TÉCNICA: ATIVIDADE GRUPAL, NÍVEL: ESPIRITUAL, SER E COMPREENDER.

O Diagrama acima nos indica que o ser Humano é um ser intelectual, dotado de uma mente e de um intelecto que lhe permite desenvolver o processo do raciocínio através do qual pode concluir e tomar as decisões pertinentes.

Entretanto, este processo não se realiza adequadamente, se o homem não aprende a analisar e valorizar as realidades do seu ambiente, suas próprias realidades intrínsecas e limites, se não aprendeu a raciocinar com o resultado de suas investigações, analise e síntese da realidade que o rodeia; se não aprendeu a distinguir entre o bem e o mal, se não conhece suas potencialidades nem suas limitações. E se encontra nessa ignorância, seu poder de ação – o pensar - vai ser realizado sem maiores bases, sem maiores conhecimentos. Conseqüentemente, não poderá tão pouco agir dentro de um contexto de veracidade.

A criança criada sem estes conhecimentos pode ver tudo dentro de um cenário de relatividade, que o pode converter em no melhor dos casos, em um marionete de seu ambiente, o que é pior, em um ser sem moral sem princípios, sem maior respeito por si mesmo, em resumo muito distante da realidade de sua própria natureza e distante do divino.

O homem é um ser psíquico, intuitivo, que pode e deve desenvolver seu nível de intuição. Este, entretanto, enquanto uma criança não aprende o que é Amor, como sua essência e herança que é o Amor. Inicia-se por aprender a amar-se a si mesmo para poder amar depois aos demais. Mas para amar-se deve acostumar-se à auto-analisar-se para descobrir suas próprias potencialidades, suas qualidades, suas debilidades para trabalhar nas áreas deficitárias e fortalecer as bondades de sua personalidade. O fortalecimento do nível da intuição se inicia desde os primeiros anos de vida, só assim a criança descobrira o reservatório de Amor universal que é.

O Homem é um ser emocional, o qual é sua qualidade intrínseca. O poder de ação é o sentir, a criança deve aprender a ser empático dentro de uma sociedade que lhe requere, lhe protege, mas às vezes lhe exige, em reciprocidade, os maiores sentimentos e o fazem sua semelhança.

Assim, deve aprender a controlar essa ânsia de sua personalidade, para evitar as grandes frustrações de suas emoções que lhe podem conduzir ao apego ao desespero, ao desencanto, à miséria, ao crime, ao ódio, à autodestruição etc. Somente através da prática do Valor da Paz pode o homem conseguir esse balanceamento que lhe assegura seu direito a permanecer em um nível de SER HUMANO.

O homem é também um nível físico, através do qual interage com seu meio. Se o homem não aprende a agir de forma coerente entre o que pensa, sente e fala, será um ser sem maior personalidade, não conquistará a apreciação dos demais. O nível físico é a manifestação mais evidente dos valores humanos que adornam o caráter de um individuo. Este nível se aperfeiçoa por meio da prática dos valores derivados da Retidão ou conduta correta.

O homem é um ser espiritual. Este nível é o corolário, o Zoom dos outros quatro níveis da personalidade do individuo. Um homem que tenha trabalhado todos os outros níveis, o quinto aflora como o zênite do desenvolvimento humano. Seu nível de ação é o entendimento. É esse homem que compreendeu o que somos, quem somos, para onde vamos e de onde viemos. Protege e ama a todos e a todos compreende e a tudo e a todos, respeita.

O Programa de Educação de Valores Humanos criado pelo Mestre Sri Sathya Sai, integra a educação destes cinco Valores Humanos, trabalha em todos os campos do Ser de uma forma integral, ordenada e holística, com o único propósito: AFLORAR A EXCELENCIA HUMANA DO SER, através da formação de seu CARÁTER.

Para integrar os objetivos da 1ª Unidade com os objetivos gerais e específicos do “Programa Formação da Cidadania a Luz dos Valores Humanos Valores Humanos”, são estes referentes ao conhecimento (nível intelectual) e a ação (Nível Físico), razão pela qual foram escolhidos para desenvolvimento desta Primeira Unidade, os dois Valores absolutos indicados no diagrama acima em cor vermelha.

Cada um dos Valores Humanos fortalecerá a personalidade dos alunos por meio da pratica dos correspondentes Valores Relativos que vão aprender a raciocinar, a conhecer-se, a agir e a tomar as decisões adequadas com base nos valores que aprenderam.

Para estes dois valores absolutos VERDADE E RETIDÃO foram selecionadas seis valores relativos da VERDADE; e seis valores relativos da RETIDÃO. Entretanto os volores absolutos AMOR, PAZ E NÃO VIOLÊNCIA estão presente de forma integrada sendo a pratica destes valores que conduzirá os alunos à auto estimar-se e à auto valorarem-se como seres únicos e verdadeiros Cidadãos. Os Valores relativos selecionados foram

VERDADE: RETIDÃO:
Discernimento Respeito
Auto Conhecimento Perseverança
Espírito de Investigação Auto Estima Disciplina
Raciocínio Raciocínio Agradecimento
Honestidade Obediência
Otimismo Auto-suficiência

Cada uma das aulas está desenvolvida aplicando as cinco técnicas: Sentar-se em Sicêncio, a Frase, a História, o Canto e a Atividade Grupal. Técnicas, que devem ser utilizadas pelos professores, porque as mesmas foram indicadas para dar as crianças à oportunidade de entender, reafirmar e viver o valor que se está ensinando.

Queremos finalizar incluindo uma mensagem de Sathya Sai, para os professores.

“O professor é como uma brilhante tocha que pode acender outras luzes. Se um estudante vai mal, somente uma pessoa está envenenada. Mas se não há sabedoria no mestre, ele fará um grande dano. Em geral, os maus estudantes são devidos aos maus professores. Menos habilitados ou técnicas de ensino falhas que não conduzirão a bons resultados se o professor em si mesmo não pratica com o exemplo”.
Sri Sathya Sai Baba


Segunda Unidade: “Aprender a compartilhar”
Objetivos específicosOBJETIVOS DAS UNIDADES

Potencializar a auto-estima a través da afirmação positiva de qualidades e habilidades, e de uma interação dentro do contexto escolar.
Propiciar o raciocínio que permita ao aluno, tomar decisões selecionadas baseadas en Valores:
Estabelecer o diálago para uma interação positiva no ambiente familiar, escolar e na comunidade:
Colaborar ativamente na resolução de problemas familiares, escolares e da comunidade
Exercitar seus direitos e deveres com a consciência da cidadania a luz dos valores humanos.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Identificar características físicas, qualidades e habilidades próprias.
Manifestar apreço por suas Características físicas, qualidades e habilidades.
Diferenciar ações moralmente carretas ou incorretas;
Identificar condutas moralmente aceitáveis e inaceitáveis em casa , na escola e comunidade.
Utilizar o diálogo como meio de interação positiva no ambiente escolar, familiar e comunitário.
Expressar opiniões de maneira respeitosa ao conversar sobre diversos temas
Demonstrar sensibilidade e interesse pela melhoraria comum familiar e escolar
Identificar e selecionar situações problemáticas da convivência escolar e familiar
Identificar e valorizar as diferentes maneiras de colaborar
Descobrir os benefícios do trabalho cooperativo
Reconhecer a importância e os resultados do trabalho em equipe
Estabelecer a relação entre o exercício dos diretos e cumprimento dos deveres com a família, com o centro escolar e a comunidade.
Expressar em forma oral e escrita a vivencia e o respeito diretos básicos da infância na família, na escola e comunidade.
§Descrever situações concretas que nutram o cumprimento dos deveres da infância na família, centro escolar e comunidade..

ATIVIDADES:

1- Incentivar os alunos que participem nas dinâmicas que lhes facilitem a exploração e identificação de suas próprias qualidades e que se identifiquem como pessoas de valores
2- Solicitar aos alunos para identificarem qualidades da personalidade de um individuo. Que não tenha sido apreciado por todo o mundo e que tenha sido apreciado por todo o mundo.
3- Orientar as crianças para que explorem nas dimensões físicas e intelectuais de tal forma que se reconheçam como pessoas únicas, que se amem e que se aceitem como são.
4- Organizar dinâmicas com os alunos para que vão identificando suas próprias qualidades, e aprendam a utilizar seus próprios recursos para a tomada de decisões responsáveis.
5- Organizar dinâmicas com os alunos para cheguem a formar um conceito positivo de si mesmos e que possam expressar apreço por si mesmo.
6- Ao final da Unidade deverá haver na classe, em conjunto, um acordo tácito sobre as características da liderança que eles deveriam por em prática.
CRITERIOS DE AVALIAÇÃO
a. Descrição positiva de si mesmo
b. Identificação e reconhecimento de características de qualidades e habilidades próprias
c. Demonstração de apreço por suas características, qualidades e habilidades.
d. Manifestação de apreço e respeito por seus compaňheiros e compaňheiras.
e. Reconhecimento das condutas aceitáveis e inaceitáveis em casa, Escola e comunidade.
f- Identificação dos Valores Morais nas condutas aceitáveis
g - Participação ativa no desenvolvimento das aulas.



I UNIDADE: MODULO PARA O 5º ANO

A VERDADE .
1. Discernimento
2. Autoconhecimento
3. Espírito de Investigação
4. Raciocínio
5. Honestidade
Otimismo .

A RETIDÃO

1. Respeito
2. Perseverança
3. Disciplina
4. Agradecimento
5. Obediência
Auto-suficiência

OBSERVAÇÃO:
§ Para os demais níveis de escolaridade as LIÇÕES devem ser adaptadas ao grau de escolaridade apropiado para cada nível correspondente do 1º ao 4º ano , tomando por base o conteúdo do 5º ano do “Programa Valores Humanos para Formação da Cidadania.”
§ O Caderno do aluno com exercícios esta apresentado em páginas soltas como matrizes a serem copiadas, na medidada das nessecidades do número de alunos, de acordo com o desenvolvimento das lições.
§ Recomenda-se que os alunos arquivem as folhas de exercícios das lições em colecionadores próprios.
Fonte: Instituto Sathya Sai de Educação de El Salvador- Adaptação do Curso de Moral e Cívica.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Cidadania: Educação Infantil - Valor Discernimento

LIÇÃO 1 - VERDADE
Valor: Discernimento
Manifestar apreço por suas características físicas, qualidades e habilidades.
Diferenciar ações moralmente corretas ou incorretas.

DINAMICA No.1 SENTAR-SE EM SILÊNCIO
Valores Relacionados
: paz interior, calma, concentração, silêncio interior, tranqüilidade.
1.1 Sugestões para o professor:
Selecionar uma música suave para o desenvolvimento da técnica do silêncio.
Buscar as palavras adequadas de acordo com o que sugere a música com o propósito de conduzir suas mentes a situações agradáveis.

1.2 Ação previa ao desenvolvimento da técnica
Sentar as crianças em posição cômoda com a coluna reta, sem cruzar os braços nem as pernas. Solicitar que as crianças fechem os olhos, respirem lentamente e profundamente e fazer que se concentrem na trajetória do ar ao entrar e sair pelas narinas.
Conectar a música e fazer que as crianças sigam respirando profundamente e a acompanhem mesmo que estejam em silêncio.
1.3 Conduzir a seguinte reflexão: com as seguintes perguntas:
O que Deus nos deu que nos permite pegar as coisas?
O que Deus nos deu que nos permite andar?
O que Deus nos deu que nos permite pensar?
O que Deus nos deu que nos permite ficar feliz?
Como devemos cuidar desses presentes que Deus nos deu?
O seu corpo o acompanhará a vida toda! Como você deve cuidar dele?

DINAMICA No.2 DISCUSSÃO DA FRASE
Valores relacionados
: auto-aceitação, auto-conhecimento, otimismo, fé, franqueza, honestidade, coragem, felicidade.

A frase do caderno deverá ser escrita em uma faixa, que permanecerá na sala de aula até a próxima lição, quando deverá ser substituída.
Debater oralmente as perguntas de compreensão, raciocínio e sentimento.

"Sei como usar as minhas mãos para fazer o bem. Assim sou feliz.”

Atividade 2.1
Compreensão da frase:
1. O que é felicidade?
2. O que é fazer o bem?
3. Quando estou fazendo o bem pra o outro?
4. Quando estou fazendo o bem para mim mesmo?
Perguntas de raciocínio:
1. O que posso fazer com as minhas mãos?
2. Escrever as respostas no quadro de giz. E usar essas respostas para perguntar para as crianças se tal ação é boa ou ruim. Usar smiles (feliz e triste ao lado das respostas para diferenciar o bem do mal).
Perguntas de sentimento:
1. O que é uma boa ação?
2. Como você se sente quando pratica uma boa ação?
3. Para quem fazemos a boa ação?
4. Faço feliz meu amiguinho? Quando?
5. Faço feliz papai e a mamãe?
6. Faço felizes meus irmãos? Quando?
7. Faço feliz minha professora? Quando?
8. Quando fico feliz?

Subsídios para o professor:
Que são as atitudes?
As atitudes se referem à forma em que eu enfrento as situações da vida diária, são as características mais relevantes de minha personalidade, dos comportamentos mais freqüentes. Por exemplo:
· Perceber o que eu faço com as minhas mãos;
· Perceber o que eu falo;
· Perceber aonde vou.
Que são qualidades?
Refere-se a todas as coisas positivas que adornam nosso corpo, nossa personalidade.
§ Físicas: Cor dos olhos, cor da pele, estatura, cor do cabelo e forma, sexo, tamanho da boca, do nariz, etc.
§ Intelectuais: Inteligente, curioso, criativo, etc.
§ Personalidade: Amigável, colaboradora, alegre, honesta, educada, respeitosa, ordenada. etc.
Que são as habilidades?
São condições, disposições positivas ou talentos que cada uma das pessoas traz quando chega ao mundo. Por exemplo:
- Posso cantar, e dizer que tenho boa voz.
- Posso organizar atividades, material escolar, os brinquedos, sala e ajudar a mamãe em casa.
- Aprendo facilmente a fazer as letrinhas e os números.

Discernimento: É a capacidade de distinguir entre o mal e o bem. Vem do verbo discernir que significa saber distinguir, saber compreender, saber julgar, saber tomar as melhores decisões. Discernimento é o poder de distinguir, compreender, saber, julgar.

Atividade 2.2: Descobrir nossas melhores qualidades
Orientar que as crianças desenhem os itens abaixo:
O que você gosta em você ?
O que você acha mais bonito em você ?
O que você gosta de fazer ?

2.3 Seleção da melhor qualidade do aluno.
Solicitar aos alunos que em casa e com ajuda de seus pais, escolham duas das qualidades que mais lhes distinguem e duas mais, que eles gostariam de potencializar até o final do ano.
Solicitar que tragam o dever para escola. O professor guardará cuidadosamente o que cada aluno lhe entregou para que no final do ano possa medir como cumpriram as propostas.
É importante a participação dos pais neste processo. No final do ano o professor poderia planejar um premio para todos aqueles alunos que verdadeiramente cumpriram com sua proposta.
Esta atividade poderá ser feita também na escola durante a primeira reunião de pais.

Atividade 2.4:
Brincadeira: Cadeira Mágica
Desenvolvimento:
· Colocar uma cadeira a frente da sala e dizer às crianças que aquela é uma cadeira mágica;
· Perguntar quem quer sentar na cadeira e ver o que acontece;
· Após um estudante sentar na cadeira, explicar que a mágica da cadeira é que quem senta nela só pode ouvir coisas boas a seu respeito e que todos devem falar uma coisa boa a respeito do colega que está sentado;
· Incentivar os estudantes para que sentem na cadeira;
· Ao final da atividade pedir para que eles falem como se sentiram ao ouvir coisas boas ao seu respeito e como se sentiram pensando e falando bem dos colegas, se foi fácil ou difícil e como seria o mundo se nós agíssemos sempre assim.

2.4 Construir um cartaz com a participação das crianças ilustrando os conceitos abaixo. Utilize os desenhos delas próprias.
O que aprendemos na Escola (conhecimentos);
Todas as coisas boas que temos (qualidades);
Como nos relacionamos ante as situações (atitudes);
Todas as coisas bonitas que sabemos fazer muito bem (habilidades);
Todas as coisas bonitas que temos aprendido a fazer muitobem (destrezas)

Colocar as questões na roda:
Sabemos distinguir o bem do mal?
Nos amamos e amamos aos outros.?
SOMOS CRIANÇAS FELIZES?

Subsídios para o professor:
Todas as crianças meninos e meninas têm qualidades, atitudes, habilidades e destrezas. Se aplicarmos e nos esforçarmos com empenho no que nos estão desafiando nossos professores na escola, vamos adquirir muitos conhecimentos, aumentaremos e melhoraremos nossas qualidades, habilidades e destrezas. Todos eles nos servirão para poder ganharmos a vida e servir aos outros quando crescermos.
Tanto as qualidades e as altitudes como os conhecimentos e destrezas devem combinar-se para poder extrair o melhor proveito deles. Porque um conhecimento sem destreza, não tem uso, não tem muita utilidade. Assim também, nossas qualidades se mostram por meio das altitudes e para que estas nos ajudem em nossas relações, devemos mostrá-las.
Entretanto, o eixo central de tudo é o DISCERNIMENTO, é dizer se sabemos distinguir o bem do mal.
De que nos vai servir ser uma pessoa sábia em conhecimentos ou destrezas se não sabemos como, aonde, quando, empregar esta sabedoria para sirvirmos aos outros.
E se não sabemos diferenciar entre o que é bom e o que não é, se não sabemos como tomar as melhores decisões no momento preciso estaremos em uma grande desvantagem na vida.
As qualidades e altitudes, devemos apreciá-las e utilizá-las para melhorar nossas relações com os demais, isso vai trazer felicidade à nossa vida e a de nossos semelhantes.
Ao fazer o bem, se aprende a discernir para orientar a vida no caminho da felicidade.
Se aprender a escutar o ser sábio que levo dentro de mim, tomarei as melhores decisões em minha vida.
Se aprender a valorizar minhas qualidades, altitudes, destrezas, descobrirei que eu sou um ser único e que valho muitíssimo, então terei êxito em tudo o que empreender.

DINAMICA No. 3 RELATO DE HISTÖRIA

Valores Relacionados
: criatividade, abstenção de ferir, respeito à natureza, cuidado, observação.

Apresentar duas imagens contendo um homem com moto-serra cortando uma árvore e uma outra cena com um outro homem com um regador molhando plantas.
Pedir às crianças que observem as duas gravuras com bastante atenção e fazer as seguintes perguntas:
Pergunta de compreensão:
1) O que está acontecendo na primeira gravura? E na segunda?
2) Se cada uma destas gravuras fosse um livro de historinha, qual deles você escolheria ouvir? Por quê?
3) Que nome você daria para essa história?

Perguntas de raciocínio:
1) Qual das duas atitudes você considera a mais correta? Por quê?
2) O que vai acontecer com as florestas se não cuidarmos das árvores?
3) O que podemos fazer para que as árvores não deixem de existir?
4) Você acredita que o homem que está cortando a árvore pensou no que pode acontecer se ele continuar fazendo isso?
5) Você acredita ser importante pensar antes de agir?

Perguntas de sentimento:
1) Você já cuidou de uma plantinha? O que você sentiu?
2) Você já percebeu que quando molhamos uma plantinha ela fica feliz?
2) Que sentimento devemos ter pelas plantas, pelos animais e pelos nossos coleguinhas?

Sugestões:
a) Construir junto com os alunos uma história com a gravura escolhida por eles, escolhendo o nome da personagem, onde ela mora, o que ela faz etc. Pedir para que as crianças façam um desenho com um final para a história.

b) Levar as crianças para regar as plantinhas do jardim ou da horta, se houver.
c) Plantar uma sementinha para cada criança para que ela possa cuidar no dia-a-dia.

DINAMICA No. 4 CANTAR UMA CANÇÃO ALUSIVA AO VALOR APRENDIDO

Valores Relacionados: alegria, harmonia, paciência, unidade, dever, patriotismo.

4.1 Concluído a discussão sobre a história, sugere-se ao professor que previamente prepare a canção relacionada com o tema.
Trabalhar cada estrofe da música separadamente assim como o vocabulário desconhecido. Ler frase por frase pausadamente e com a repetição das crianças. Quando as crianças tiverem entendido o que foi lido, coloca-se a melodia da música cantando a primeira estrofe. Fazer um cartaz de cada estrofe.
Sugeri-se ainda organizar um Hinário da escola, facilitando assim o trabalho dos demais professores para os futuros períodos letivos.

A canção sugerida: Eu sou o Amor (CD Um Gesto de amor) – Organização Sri Sathya Sai do Brasil
Refrão
Eu sou o amor que tudo permeia
Estou em toda parte no seu coração
Sou como uma flor que encanta a natureza
Agora apresento minha amiga a Retidão

Eu sou a retidão
Apresento-me para ensinar
Que devemos seguir
O amor e vamos cantar

Refrão (Verdade)

Eu sou a verdade
E sustento toda criação
Não se deve mentir
Em nenhuma ocasião

Refrão (Paz)

Eu sou a Paz
E estou dentro de vocês
Se quiserem me seguir
Cantem mais uma vez

Refrão (Não-Violência)

Eu sou a não violência
E não maltrato ninguém
Sou um com o amor
E com você também

A grande verdade
É que todos somos um
Estamos em toda parte
No seu coração

Atividade 4.2: Compreendendo o Hino Nacional
Introduzir o Hino Nacional utilizando informações complementares e correlatas ao Hino, por exemplo, manusear o globo, o mapa, a bandeira do país. Perguntar as cores, o que as estrelas representam. Ressaltar o aspecto do orgulho de pertencer ao país. A postura física ao cantar o hino, com respeito, amor e disciplina.

Subsídios para o professor:
Texto complementar:
Ouvir o Hino Nacional desperta o sentimento de patriotismo e o orgulho de ser brasileiro. Ele é o porta-voz da nação, da alma do povo.
Desenvolver o apreço pelo Hino Nacional promove o desabrochar da consciência do Ser Cidadão através da compreensão do seu significado.
Conhecendo a sua história, o indivíduo passa a perceber a sua importância na sociedade, exigindo seus direitos e cumprindo seus deveres. Começa a perceber o poder de união em todos os aspectos e não somente em dias de campeonatos esportivos. O amor à Pátria começa a fazer sentido. Ele percebe a responsabilidade perante a sua comunidade e passa a contribuir para melhorar a qualidade de vida de todos, exigindo das autoridades os seus direitos e cumprindo seus deveres.

Desenvolvimento da Atividade:
- Escutar o Hino Nacional algumas vezes, podendo colocar também como fundo musical de outra atividade.
- Mostrar o cartaz da primeira estrofe, ler frase por frase, repetindo com as crianças.
-Trabalhar o vocabulário desconhecido (de acordo com o nível de entendimento das crianças).
- Começar a cantar com elas.
- Trabalhar da mesma forma com as outras estrofes.
- Usar vídeos mostrando imagens com a execução do Hino Nacional, como por exemplo: início de alguma comemoração e evento esportivo.

4.4: Exercício de Direitos e Deveres.
O sistema utilizado aqui são as cores como símbolo para distinguir os direitos dos deveres. Cabe ao professor instituir uma cor que signifique o direito e outra como o dever. Ressalta-se que já se reforçou sobre a diferença de direitos e deveres através de texto, exemplos do dia-a-dia deles anterior a esse exercício.
Dois alunos representam e pegam os cartões: direito e dever. Assim há a possibilidade de se perceber se a criança sabe distinguir a cor e o que é certo e errado.
Relacione as questões abaixo de acordo com a classificação indicada:
(1) Direitos – cor x
(2) Deveres – cor y

Fazer as questões em voz alta para as crianças para que elas digam qual cor representa.
( ) falar a verdade
( ) não jogar lixo nas ruas
( ) respeito aos mais velhos
( ) ir à escola
( ) respeitar os animais
( ) brincar
( ) ter emprego
( ) preservar a natureza
( ) ter uma moradia
( ) informação
( ) Fazer as tarefas da escola
( ) proteção e segurança ( ) sistema de recolhimento de lixo
( ) liberdade de ir e vir ( ) transporte coletivo
( ) viver a vida livre de preconceitos ( ) preservar os bens públicos

DINAMICA No. 5 DESENVOLVIMENTO DA ATIVIDADE GRUPAL

Valores Relacionados: aceitação, atenção aos outros, gentileza, participação, fraternidade, amor universal.
5.1 Distribuir uma folha de papel e pedir para que façam um auto-retrato. Disponibilizar espelho para que possam se observar. Ao término, cada criança apresenta seu desenho para o restante da turma e os desenhos são colados em um mural.

5.2 Brincadeira: Eu te amo porque...

· Dispor as cadeiras em círculo, uma para cada criança;
· Uma criança fica no meio do círculo. Esta deverá observar os colegas e dizer: Eu te amo porque... (você tem cabelo curto... é menino... está de sapato... gosta de dançar... é meu amigo...etc.) e todos que apresentam a característica observada trocam de lugar e a criança senta em uma das cadeiras. A criança que sobrar ficará no lugar da anterior e procederá da mesma forma.
· Realizar a brincadeira até que as crianças percam o interesse.
· Avaliar a brincadeira conversando com as crianças sobre o que sentiram, se gostaram, se foi fácil, difícil e por quê.

6. AVALIAÇÃO
Proceder a avaliação por meio da observação cotidiana do comportamento das crianças, do diálogo entre as atividades e do intercâmbio de informações com a família.

Extensão curricular para o Método Indireto:
Sugestão para o Professor: resgatar os valores humanos identificados na aplicação das disciplinas curriculares adaptadas aos níveis de escolaridades:

· Conhecimento do corpo humano;
· Cuidados com o corpo humano;
· Higiene;
· Cuidado com seus pertences pessoais (calçados, material escolar, roupas, brinquedos);
· Alimentação saudável;
· Preservação da natureza e cuidados com o meio em que vive.

Equipe responsável pelo planejamento:
Professores e voluntários da Escola Sathya Sai de Aparecida de Goiânia (GO)
Chlorys B. Sampaio
Elane Amorim
Rodrigo Barros
Sarah Morais
Maria do Espírito Santo Nasareno
Vera Lúcia Araujo Lima Barbosa
Luiz Mustafá
Brasília: Eunice Paiva e Hebe Teixeira

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Vídeo: Valor Superação

Recebi este vídeo de uma amiga da escola. Como estamos trabalhando com o tema: Diferentes sim, por que não? coordenado pelas professoras da sala de recursos, pensei que ele vem complementar nosso trabalho.

É importante lembrar que a Tailândia é referência no Programa Sathya Sai de Educação em Valores Humanos. Vejam, a sementinha já está germinando nos meios de comunicação e publicidade.

O texto abaixo acompanhou o email que recebi.


Um comercial produzido na Tailândia:
É a história de uma menina surda-muda que aprende a tocar violino contra todos os reveses, principalmente de uma colega pianista maldosa.É um comercial de shampoo, da Pantene com a temática "lição de vida", mostrando o que se pode fazer com o coração.Nenhuma referência é feita ao produto (shampoo) até o fim do comercial:"Você pode brilhar".
A música tema é o Canon in D, de Johann Pachelbel

video

sábado, 19 de setembro de 2009

História da semana

Esta semana estarei contando a história "Uma Joaninha diferente" de Regina Célia Melo. Quem tiver sugestões por favor enviem para nós.
Logo mais enviarei o planejamento
Eunice

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Informações sobre o blog para os pais ou responsáveis

Este blog destina-se à publicação e divulgação de material referente ao Projeto de Educação em Valores Humanos e tem como objetivo incentivar a prática dos valores humanos na escola, na família e comunidade.
As fotos dos estudantes a serem publicadas tem o caráter de valorizar e incentivar a participação amorosa nos trabalhos propostos e motivar outros projetos, não tendo nenhum outro interesse.
Só serão postadas fotos de estudantes cujo responsáveis autorizarem por escrito.
Comentários e sugestões podem ser feitas abaixo de cada publicação.
Atenciosamente
Professora Eunice

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Diário Coletivo das Atitudes de Valor

O professor propõe para a turma a produção de um diário coletivo.
A cada dia um estudante é escolhido ou sorteado para levar o diário (caderno) para casa e relatar tudo que conseguir lembrar de bom que aconteceu na escola.
No dia seguinte ele fará a leitura para a turma e outro estudante assume a tarefa para o outro dia.
O objetivo é enfatizar a prática dos valores e seus efeitos positivos e transformadores na vida de cada um.
Conversar com os estudantes sobre os sentimentos observados durante a produção do texto, enquanto houve os relatos e o que essa atividade tem proporcionado para o grupo.

Ditado de Valores

  • Cada estudante é orientado a pensar em alguns valores que usarão no ditado;
  • A critério do professor, cada estudante fala um valor e todos escrevem;
  • Em seguida formam grupos para correção, deixando claro que o importante é ajuda mútua e aprendizagem coletiva. Todos devem colaborar para o sucesso do grupo.
  • No final, o professor escreve todos os valores no quadro para os estudantes conferirem e conversam sobre as atitudes positivas e os valores colocados em prática durante a atividade.